Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009

silencioso, é o novíssimo caminho de vida.

silêncio-me nas poderosas palavras do silêncio. retenho-me do enorme barulho do sliêncio, que se entranha dentro dos meus ouvidos e me faz confusão na minha cabeça. o silêncio é muito barulhento. não estou a saber lidar com ele. refugio-me num lugar seguro. ou melhor, tento. na verdade, esse silêncio que me perturba acompanha-me em qualquer lado. peço, imploro que se afaste mas ele não respeita. sinto-me mais uma vez sozinha. com vontade de cometer todas as loucuras, como quando tinha 12 anos. afinal, o que se estará a passar. será que tudo o que vivi não deu em nada. todos os anos, que julgo se terem realizado não passaram de meros sonhos e insignificantes ilusões (...) não posso crer. pensava que a vontade de curtar os pulsos, já tinha passado. que a vaidade em me suicidar já tinha fugio em pune. eu ensina-ra algumas pessoas, que hoje ainda se cruzam na minha vida e me agradecem o facto e a disponibilidade que dei, para as fazer perceber coisas erradas. limitei-me a fazer o certo. o merecido. mesmo, ainda não conhecendo, eu não me 'perdoei'. nao liguei a birras, inseguranças e insignificancias. atirava-me de cabeça, sem dó nem piedade de mim mesma. na mais pura da verdade, por outros. no inicio, todos me tratam pela menina perfeita. sem defeitos. sem interrogações. sem problemas. forte e no entanto sensivel. eu aviso antecipadamente, do no mundo onde vivo. a pessoa que eu sou. que tudo o que me rodeia e faz parte do meu dia a dia, não é um mar de rosas. não sou um conto de fadas. eu aviso previamente e ninguém quer acreditar. na altura, que erro, todos me julgam de uma vez só. não perdoa o facto de errar é humano ! eu tambem sou um ser humano. não sou a fadinha mais valiosa do conto de fadas mais belo que só quer bem a todos. tenhos os meus problemas. amo muita gente e no entanto, não suporto outra tanta. todos me jogam a cara as asneiras mas ninguem se lembra, que fui eu que deitei a mão, mesmo quando não conhecia. começo a pensar, que quando passo na vida de uma pessoa, tenho apenas uma missão a comprir. (é a esta missão que me refiro RL) quando essa mesmo se concretiza, eu desapareço. eu voo por entre as planices mais altas, à procura de mais uma vida para mudar. mudar e melhorar. sinto-me bem, enquanto ajudo. o mais certo, é que fico mal, quando me prejudicam.

 

moral da história : somos todos diferentes e no entanto todos iguais.

hoje estou: exausta

Sábado, 22 de Agosto de 2009

rainhadaminhavida $:

implorar-te para que fiques. ajoelhar-me para asegurar a tua presença. não sei que dor é esta. esta dor causada pela tua ausência. pela tua distância. rezo para que fiques. imagino como tudo poderia ser diferente. mas se assim foi, é porque assim teve de ser. quero-me certeficar que estarás para o resto do meu lado. quero saber que esqueces-te o que tanto te magoei. quero que com um pequeno jeito teu me apagues esta dor. diria que perderia muito, se perdesse os meus bens. perderia mais, se perdesse um amigo. na verdade e acima de tudo, perderia muito mais se perdesse a coragem de fazer de ti a minha vida. não peço que ignores todo o passado. não peço que sejas mais prefeita do que o que já és. que sejas mais do que eras. peço-te apenas, que sejas o que eras quando eu te conheci. que me voltes a tocar com esse teu jeito meigo. quero que marques de novo os teus dentes nas minhas bochechas. voltar a sentir a tua forte mão a apertar a minha. sentir o teu doce rosco junto ao meu de novo. não olhes para trás. ignora o passado. ele é doentio. vive comigo o presente. prometo mudar-te tudo. prometo fazer-te feliz até que as terras mais bravas me 'engolam'. enquanto, sou 'forte' e me aguento. eu luto pela tua felicidade. o teu sorriso deslumbrante. a tua simplicidade fascinante. como te disse, a prefeição existe. eu vejo isso em ti. agora, vem. me abraça de uma vez. não faças cerimonias. eu sei que te queres envolver de novo nos meus braços, da mesma maneira que eu $: basicamente, quero que me dês o teu maior abraço. quero que me faças matar as saudades todas num abraço só. quero que me faças setir amada. quero que sintas que te amo. basicamente, quero fazer tudo em segundos. quero voltar a sorrir, como naquela segunda, naquela quarta e naquela sexta. tardes passadas, com alma que só eu a via. recordações, que se irão repetir. eu não vou desistir. fica. fica aqui comigo de uma vez por todas *.*
amo-te rainhadmv <3

hoje estou: arrependida
música: Pedro Madeira - Descobre-me

Terça-feira, 7 de Julho de 2009

o acordar do sol *.*

é espantoso. é espantoso, como é que o sol e a lua, em 24 horas, dão a volta ao grandioso mundo *.* Sempre que faço directa, acompanho o acordar da lua e o seu adormecer, para logo de seguida, o sol nascer. Estou no meu quarto. Sentada na cadeira, em frente ao vício. A música acompanha-me, é claro. Depois de me sentir só, por não ter companhia, para ter uma conversa decente, logo sinto um quente. Olho para além da janela e vejo o sol chamar por mim. A dar-me um grande Bom Dia. Deu-me vontade de escrever um pequeno texto, e depois me vai dizer: agora, já te podes ir deitar. Assim o fiz. Deitada na cama, olhava perante a janela. Já não me sentia só. O SOL, era uma companhia $: pedi-lhe para me contar uma história. Ele lá começou por: Era uma vez..., como todas as histórias banais começam. Eu logo o interrompi e lhe respondi à sua cara de espanto: Seja diferente. Seja criativo logo desde o começar da história. Assim o SOL foi tentando, cativar a minha atenção, até que adormeci. Caminhei por um mundo fora, de fantasias. Onde começara também, por: Era uma vez. aí, já não podia interromper e me deixei levar. A rua dos sonhos, por onde passei. No mundo da lua, foi onde me deixaram. Eu era um astronauta, no meu foguete de papel. No final de tudo, acordo para mais um dia de desgaste energético. Com muitas correrias e brincadeiras. Tristezas e alegrias. Me ponho a pensar, que é mais alto quem mais longe imaginar. Isto não tem Segredos. Na verdade, tudo começou com o acordar do SOL *.*


Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

« uma coisa do passado, que mexe o presente $: »

 

vive-mos . vive-mos num mundo, onde todos pensa-mos que somos independentes, que não percisa-mos de ninguém para saber viver . isso não é verdade . quando mais pensa-mos assim, mais rápido, percisa-mos de uma pessoa ao nosso lado . aquela que dá um ombro amigo, aquela que nos ajuda em tudo . aquela que não tem vergonha das figuras que connosco pode fazer, aquela que chora contigo se percisares de chorar . é disto que todos percisa-mos , de alguém a nosso ládo . quando aparece algum rapaz, no qual fica-mos fascinadas . aquele que parece ser o Super-herói, que não nos faz chorar, que só nos dá motivos para sorrir. quem passeia connosco e nos dá a mão em frente aos amigos, quem não tem vergonha de nós. depois de muitas conversas e entendimentos, partimos para o namoro . tudo no inicio parece maravilhoso. passa-mos o dia feliz e senti-mos que nada nem ninguém nos consegue deixar mal . que ninguém nos consegue deixar triste . parece que o mundo gira em torno à pessoa que está a nosso lado . aquela que a qualqer hora do dia nos dá uma palavra 'Amo-te', que não tem vergonha de gritar o meu nome, dizer a frente de todos os amigos que me ama . que me defende quando os seus amigos me criticam . isso sim , é o que eu faço, por muito que o critiquem ele é tudo aos meus olhos, o rapaz sem defeitos, com tudo perfeito em si. isso surge durante alguns dias, semanas e raramente meses . mas depois de tudo, nos repara-mos que nem tudo é assim tão perfeito, que tu tens defeitos, muitos até . que eu também tenho, eu sei . que feitio fácil também não tenho . comete-mos erros que nem sabemos como, faze-mos coizas que achava-mos impossiveis . chora-mos um para cada lado, por ter-mos acabado, amamo-nos na mesma :x  eu gostava de poder corregir tudo . sim, eu estava pronta a isso , disposta a ouvir bocas de tudo e todos para estar contigo, ser feliz a teu lado, como era no inicio . querer ver-te a minha espera a porta da sala para estar-mos juntos, correr para ti e gritar que te amo, ter força e vontade para isso tudo . mas não tenho, é muita ironia, muitas discuções, muita distância . eu sofro, ando triste, sem vontade para tudo. ando aqui, como se não andasse . Sentir que somos imunes a pessoa que mais amamos . mando-te sms e nada, quero estár contigo e nada .. eu já nem sei se ainda me amas . pesso-te para estár contigo e permaneso naquela dor , confeso. pensava que quando te visse , ia soltar o meu primeiro sorriso de hoje, mas não . olheite ao longe e baixei a cabeça . sentia que a tinha de erguer , mas não conseguia, queria conseguir-te olhar fixamente nos olhos, mas não conseguia . permaneci no silêncio do teu toque, do tão incompleto momento, onde eu tentava dar as minhas palavras. observava os teus gestos, sentia-te longe de mim , mas ouvia o teu respirar . recordo aquele momento de loucura, no qual as minhas palavras não foram ditas com sentimento . aquelas palavras que eu tentei dizer, para depois de cada palavra, de cada passo, tu me abraçares, me beijares , (...) , encho-me agora de perguntas . como tinha tanta força e tudo se foi ? como eu queria tanto ter esta oportunidade para me expressar e dizer o que sinto e não me saiu náda ? porque ? porque ? pooooorque ? sairam-me simples palavras a indirectamente dizer: 'Não é nada, esquece ..' . mas eu tinha tanto a dizer, tinha tanto para te pedir, tanto para te confesar, mas nada saiu, náda consegui dizer. Sim, senti-me humilhada, senti-me triste, senti-me pior do que me senti o dia todo . a ver-te passear com os teus amigos, a brincares com eles, a sorrires ao lado deles. tentava divertir-me com os meus a dar gargalhadas , mas não conseguia sorrir, o que eu mais gosto de fazer na vida , SORRIR ! sentia nojo de mim, raiva (...) errei tanto e agora perdi o homem que tanto amo . então quando pegava no meu próprio braço e sentia aqueles cortes que fiz por ti, olhava em diante e cada vez pensava mais que a culpa daquilo tudo, não era só minha . os dois erramos, mas serei só eu que estarei a sofrer .. querer poder saber o que estavas a pensar, mas não conseguia. perguntar-me o que querias tu dizer mas não dizias . pergunto-me se as recordações restão apenas em mim, ou em ambos .. mas não tinha resposta, como já esperava .. resta-me permanecer, neste horrivel e horrendo silêncio, no qual os momentos passados, seram a luz da força que me motiva a continuar .

será que ainda vai haver continuidade ? +.+


Sábado, 2 de Maio de 2009

« a pequena moral da grande HISTÓRIA ! »

estou cansada de coisas incertas e promesas de amor eterno. tudo acaba uns dias depois. perciso de promesas certas. mais do que palavras. quero gestos sinseros. perciso das tuas actitudes tomadas com firmeza. com certezas. é só mais um texto. mais um dia. mais um mês. mais um ano. o tempo passa pouco a pouco. derrepente o tempo voa. os amigos desaparecem e o mundo dá uma reviravolta. podes hoje cá estar e amanhã cá estives-te. fartamo-nos de queixar e lamentar. perdemos tempo, só. acordas mal disposta. sem vontade e ainda nada fizes-te. aproveita mazé. deixa-te de lamentações e cria vida própria. não presigas os que te rodeiam. deixa ser eles a fazerem isso. eles a procurarem por ti. eles a sentirem a tua falta. agradece o que tens. não despredizes o que tens. há quem nada tenha. aproveita e não te queixes. dás demasiada importancia a pessoa que não te ama. esqueces quem mais te ama na vida. quem mais amavas, não te ligou e agora acabou a te deixar. é sempre mais simples falar do que agir. reagir torna-se impossivel, em muitas situações. promeças e planos que prometemos. no fim, tudo é adiado. tudo se dá o fim. acabas a desistir e a vida é a mesma merda! ninguem te ajuda quando tu mesma não te ajudas. ninguem faz nada por ti, quando nem tu mesma o fazes tambem. não te esforças para mudar a tua vida. adormece e sonho. acorda com força para realizar, e concretizar. logo de seguida, encontrar uma saída. tento falar contigo e acabo a falar apenas comigo. tento me expressar, mas tu não queres ouvir. tento fazer-te perceber, mas tu jogas tudo no lixo. mando-te uma fala e tu respondes sem pensar e logo fechas a conversação. mostrar-te que tu tens de ser diferente. interpreta o futuro da mesma maneira que eu. não como todos os outro, que vivem o presente com medo do futuro. ninguem implorou a vida. limitou-se alguem a dar-nos sem nos pedir as opiniões antes. a vida é um drama mais que terrível.dão-nos prendas e supressas. que por muitas vezes são esquecidas. encostadas em cantos da nossa vida. depois. muito tempo de pois é que nos lebramos. nos lembramos que elas existem, mas agoram são meras lembranças. ok, estás a ler o texto. está a dar-te mais um dos ataques? naqueles que te relembras de tudo. que te dá mais um ataque de choro e mais uma enorme vontade de cometeres uma grande loucura. apagres-te do mundo e deixares todos os que te amam de verdade, os que falei a pouco, a sofrerem. a chorarem e a lemantarem-se por acharem que não foram suficientemente capaz de te fazer parar. não te estiques. bebe shots, bebe alcool, fuma praí. boa, estás feliz? estás a cair de bêbeda e a fazer umas figurinhas do pior. que vergonha. apetece-me deixar-te aí. no chão. passar por ti e cuspir-te na cara. METES-ME NOJO ! não o fiz. acobardei-me e meti-te dentro do taxi. vê se dormes. acorda e toma banho. trata da ressaca. acorda de tudo e faz-te a luta ! todos haveremos de partir, mas que não seja de repente. no final da história. tudo está bem.

Moral da História: « Vive a vida. ela da voltas e não avisa com antecedência. »


publicado por um caminho uma vida às 00:13
olha o texto $: | comment | adiciona-me aos teus favoritos $:
Sexta-feira, 1 de Maio de 2009

« mais um dia de susto, por tua culpa. »

mais um dia de aulas. acordar cedo e ter de ir para a escola. o atraso matinal diário. as aulas uma seca e muito duradouras. estava mortinha que acabasem, queria passar mais uma tarde contigo. estava na hora e eu prestes a sair de casa. espero na paragem pelo autocarro. assim ele chega, finalmente, depois de uns minutos de seca. a angustia começou. a saudade voltou a apertar e a vontade de estar contigo a enormizar-se de uma maneira espetacular. ligo-te e tu dizes-me que estás a 'porta' da paragem do metro em são bento. tinha a rua dos clérigos todos para descer e já estava exausta. já não me sentia capaz de andar, de descer aquilo tudo. a vontade de te abraçar era enorme, então em passos largos assim me fiz ao caminho. aquela rua que tão grande me parecia, se tornor minuscula. descia em menos de 5 minutos. finalmente estava a chegar. já te via de longe. queria correr, mas dava mau aspecto. queria que viesses ao meu encontro, mas nem te mexes-te. aguardei e travei um pouco o passo. assim cheguei. logo me abraças-te. me deixas-te envolver nos teus braços. o tempo passou rápido e logo me dizes-te que tinhas de ir embora. ainda que me foste levar  paragem, mas nem me consegui despedir de ti. pensava eu que tudo estava pronto e não me preocupei muito. na verdade, amanhã ia-mos estar juntas. o noitão que tanto esperava-mos. passei a noite a insistir para o meu pai ligar a tua mãe. finalmente ele o fez. estava radiante e nervosa. correu mal. a noticia foi um 'não'. afinal tu não podias ir. eu não sabia porque. não sabia o que se passava. o teu namorado contou-me. contou-me tudo o que se estava a passar. aquela sms que lhe mandas-te a dizer que querias fugir. desatei a chorar e fechei-me no quarto. não aguentava. queria estar contigo e não podia. queria ouvir a tua voz, mas tinhas o telefone desligado. queria um abraço, mas estavas longe. mais uma vez eu queria faltar ás aulas para estar contigo. não o fiz, ele pediu-me para não fazer. eu entrei em stress. estava tão irritada. o que podia eu fazer ... assim o dia se passou e eu sem saber quase nada de ti. já se está a passar mais um dia e eu sem saber nada. quero estar contigo, poder voltar a ter o de antes. sinto-te afastada, distante. vem, fazes-me falta rapariga da minha vida ! $:


publicado por um caminho uma vida às 11:36
olha o texto $: | comment | adiciona-me aos teus favoritos $:
Sábado, 18 de Abril de 2009

« a minha vida é uma estrada +.+ »

eu presigo uma estrada. a minha vida se resume a um caminho. qual eu pisso todos os dias. por vezes receio um passo. receio a queda. no meio de tudo, eu pergunto porque ? porque tanto medo de cair .. isso só me irá fazer crescer. fazer perceber melhor cada sinal que recebo da Vida. muitas vezes sigo o caminho errado. isso não deve ser uma vantagem para me apontarem o dedo . para me criticarem. pois mesmo se cair, logo de seguida irei recuar tudo para voltar a poder escolher o caminho. ou então, encontrar um atalho para o caminho certo. não tenho medo de cair. sei que já sou suficientemente forte e capaz para me levantar de qualquer queda *.*
enquanto escrevo, a vida passa a correr lá fora (...) $:


publicado por um caminho uma vida às 23:42
olha o texto $: | comment | adiciona-me aos teus favoritos $:

.outras opções $:

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.os novos textos $:

. silencioso, é o novíssimo...

. rainhadaminhavida $:

. o acordar do sol *.*

. « uma coisa do passado, q...

. « a pequena moral da gran...

. « mais um dia de susto, p...

. « a minha vida é uma estr...